Foto: Cristianstorto / Canva
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

O diagnóstico do câncer de mama, na maioria dos casos, assusta as mulheres, principalmente

devido às informações atravessadas encontradas na internet. Uma das dúvidas que sempre surge é a necessidade de retirada das mamas.

Mastectomia é o nome dado para cirurgia de retirada de um ou ambos os seios. O procedimento pode ser realizado antes do surgimento do tumor ou quando ele já está alocado.

São várias as técnicas que possibilitam a retirada dos tecidos mamários, visto que cada caso é singular e precisa de uma análise para indicação do tratamento mais adequado.

Veja abaixo as principais:

Mastectomia preventiva

Foto: Baseimage / Canva

É realizada para evitar o surgimento da doença. Nessa técnica é feita a retirada de ambas as mamas.

A mastectomia preventiva só é indicada para mulheres que apresentam grande risco de desenvolverem o câncer, tais como as que têm histórico familiar e as que apresentam alterações genéticas identificadas nos genes BRCA1 e BRCA2.

Mastectomia simples

Nessa cirurgia, é feita a remoção apenas da mama, sem a necessidade do esvaziamento axilar. Esse procedimento é muito utilizado em situações, como carcinoma in situ extenso e em recidivas.

Mastectomia poupadora de pele

Grande parte da pele é preservada com essa técnica, somente é retirado o tecido mamário, mamilo e aréola. A mastectomia poupadora é mais comum, pois tem como vantagem a reconstrução da mama na mamoplastia e deixa o aspecto mais natural. Em alguns casos preserva-se, também, o mamilo e aréola, retirando-se apenas o tecido mamário propriamente dito.

Essa cirurgia, geralmente, não é indicada para tumores muito grandes ou que estão alocados próximos à pele.

Mastectomia radical

Aqui, o cirurgião retira toda a mama, incluindo os linfonodos da axila. Esse método é recomendado em casos de tumores grandes ou mais agressivos.

Mastectomia dupla

Quando a mastectomia é feita nas duas mamas é chamada de dupla ou bilateral. Na maior parte dos casos, é realizada como cirurgia preventiva, quando a paciente apresenta alto risco de desenvolver o câncer na mama.

Quando é indicado?

Como já sabemos, a mastectomia é um procedimento cirúrgico que tem a finalidade de retirar o tumor e os tecidos afetados na mama, ou no caso da preventiva, evitando o surgimento da doença.

Na situação de mulheres com câncer em estágio inicial, pode ser possível o tratamento conservador, porém, em situações mais severas, a mastectomia pode ser indicada.

Em resumo, o procedimento é indicado:

  • Quando há alto risco de desenvolver o câncer de mama.
  • Quando há necessidade de aliar a radioterapia ou quimioterapia.
  • Para prevenir que o câncer afete a outra mama.
  • Em casos de tumores invasivos, que criam metástase, volumosos.
  • Nos casos de câncer de mama in situ extenso.

Pós-cirúrgico

A maioria dos procedimentos pede um repouso de, pelo menos, quatro semanas para o retorno das atividades normais, além disso geralmente é prescrita medicação para evitar possíveis dores.

Após esse período, pode ser indicado também prática de atividades físicas e fisioterapia para fortalecimento dos membros superiores e retomada dos movimentos.

Veja algumas orientações a serem seguidas após a cirurgia:

  • Evitar exposição excessiva ao sol.
  • Não fazer esforços físicos, principalmente carregando pesos.
  • Realizar a troca do curativo de acordo com o recomendado.
  • Tomar a medicação correta.
  • Fazer a assepsia da região.

O acompanhamento médico, mesmo após o procedimento, é essencial para observar se há ou não o risco de recidiva.

Se você chegou aqui e precisa agendar uma consulta e exames, saiba que na Mastológica é possível fazer todos os procedimentos em apenas um dia, com conforto, agilidade e segurança. Agende aqui!

Compartilhe este post com seus amigos

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments