Entendendo os resultados da mamografia

Mulher negra alta fazendo mamografia, sendo atendida por profissional da saúde branca e loira.
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Quem nunca se sentiu ansiosa ou angustiada ao pegar os resultados de exames, mesmo que rotineiros? Todas nós passamos por isso, independentemente de qual tipo de exame. Esse sentimento muitas vezes é causado pelo

desconhecimento técnico, falta de informação e também pela preocupação com um possível diagnóstico negativo.

Foto Edward Olive Canva

Muitos médicos costumam recomendar que seus pacientes não abram o exame antes da consulta do retorno, justamente para não causar uma ansiedade desnecessária. Mas, não saber os resultados também pode ser estressante. Portanto, o melhor a ser feito é se informar e saber que você conseguirá entender determinado exame só até certo ponto e que nada exclui a necessidade da avaliação médica.

Enquanto aguarda o parecer do seu mastologista de confiança, veja o que pode ser observado na mamografia:

Entendendo os parâmetros

Dentre os indicadores observados em um exame de mamografia, o BI-RADS®, é o mais importante, pois a partir dele é possível enumerar, de acordo com o grau de anormalidade, se a paciente tem câncer de mama ou não.

A sigla significa Breast Imaging and Reporting Data System, que nada mais é que o sistema de dados e parâmetros em exames de imagem das mamas. O código foi criado pelo Colégio Americano de Radiologia e é utilizado como padrão em muitos países do mundo, incluindo o Brasil.

Nesse padrão, os números vão de 0 a 6 e eles são usados como um ranking:

BI-RADS®
• 0 Exame inconclusivo.
• 1 Normal.
• 2 Alteração benigna.
• 3 Alteração provavelmente benigna.
• 4 Alteração suspeita.
• 5 Alteração muito suspeita.
• 6 Lesão maligna.

A depender do resultado, o médico mastologista poderá recomendar que o exame seja repetido, solicitar biópsia ou encaminhar a paciente para uma investigação mais profunda e detalhada.

Foto: nomadsoulphotos / Canva

“Meu BI-RADS® deu 4. E agora?”

Como explicado acima, o BI-RADS® é apenas um dos parâmetros observados em um exame de mamografia e a maioria deles não é possível de ser interpretada sem ajuda profissional. Por isso, a primeira coisa a fazer, independentemente do resultado, é marcar sua consulta de retorno com o médico que solicitou a mamografia.

Além disso, mesmo se o resultado não for alarmante, a paciente deve voltar ao médico, pois existem anormalidades que não são detectadas pelo exame de imagem ou que dependem da interpretação de um especialista, seguida de uma avaliação clínica.

Diagnóstico não é sentença

De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de mama é o segundo tipo mais comum da doença entre as mulheres e as chances de tratamento aumentam consideravelmente quando a doença é descoberta em estágio inicial, podendo chegar a 90% de chances de cura.

Sendo assim, o que pode ser feito ao descobrir o câncer de mama é seguir o tratamento e as recomendações da equipe médica.

A mamografia é um exame que deve fazer parte da rotina da mulher em fase adulta. A idade ideal para incluir esse exame em sua bateria anual ou bianual dependerá da recomendação do médico que a acompanha e do histórico médico e familiar da paciente.

Agora que você entende um pouco melhor sobre o exame de mamografia, mantenha seus exames de rotina atualizados e conte conosco nessa etapa!

Compartilhe este post com seus amigos

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments