Câncer de mama: saiba tudo sobre sintomas, dores, causas, tratamentos e prevenção

Mulher tocando na mama esquerda com as duas mãos.
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

No Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de mama é o tipo de câncer que mais acomete as mulheres no país (excluídos os tumores de pele não melanoma). A importância da conscientização sobre esse tipo de câncer se faz necessária para que o tratamento seja cada vez mais precoce.

A palavra câncer pode assustar muitas pessoas, principalmente quem recebe um diagnóstico ou existe a suspeita de possuir a doença de acordo com os sintomas. Com isso, é comum que surjam diferentes dúvidas sobre o assunto, como por exemplo dor, tipos de tratamento, os sinais de alerta e até mesmo a idade que os cuidados devem começar ser tomados.

Para solucionar dúvidas com calma, é importante saber todos os detalhes do início ao fim do processo de um câncer de mama.

SINTOMAS

SINTOMAS

O nosso corpo dá alertas quando algo não está certo. Com o câncer de mama, é possível identificar sintomas como:

  • Inchaço nas mamas ou em uma delas.
  • Dores nas mamas ou nos mamilos.
  • Presença de caroço ou volume atípico.
  • Vermelhidão na pele da mama.
  • Liberação de líquido pelo(s) mamilo(s).

É comum que em alguns períodos as mulheres sintam dor nas mamas por diferentes causas. Ou seja, a gravidez e ciclo menstrual. Existem também dores que não são comuns e podem indicar problemas, como mastite ou algum trauma na mama. Porém, o câncer de mama dificilmente vai causar dores como essas anteriores.

Os sintomas podem se manifestar simultaneamente ou não, podendo ter diferentes intensidades. Isso significa que a importância do autoexame da mama e consultas regulares com um(a) médico(a) são importantes para avaliação desses sintomas e evitar que se agravem.

CAUSAS

CAUSAS

O câncer de mama não possui uma causa única e pode ocorrer por diferentes motivos, como mutações genéticas. As que ocorrem em grupos familiares são responsáveis por 5% a 10% dos casos. Além desse motivo, podemos citar também causas externas: hábitos alimentares, estilo de vida, uso de tabaco, sedentarismo, uso de hormônios, entre outros. Esses já são responsáveis por 80% a 90% dos demais casos de câncer de mama.

Há também outros indicadores que têm relação com diferenças sociais. Diversas pesquisas internacionais indicam que países com maior número de câncer de mama são os possuem alto padrão de vida, já que isso se relaciona também diretamente com os hábitos das mulheres dessas localidades.

Prevenção

Não há como prevenir o câncer de maneira absoluta e eximir a chance de ocorrer, mas existem formas de reduzir os riscos de ter a doença ou prevenir que haja piora. São eles:

  • Ter uma alimentação saudável e equilibrada.
  • Praticar atividades físicas.
  • Prevenir a obesidade.
  • Realizar exames periódicos.

Essas atitudes são capazes de evitar o câncer de mama e também diversas outras doenças que podem se agravar com maus hábitos.

TRATAMENTOS

Para o tratamento do câncer é necessário o médico avaliar o estádio da doença. O estádio é o processo que vai determinar a extensão e a localização do câncer na mama, podendo avaliar assim como está seu avanço e escolher, a partir dessa informação, qual o tratamento mais adequado.

Quando o diagnóstico é precoce ou feito no início, é possível tratar com cirurgia, que pode ser apenas para retirada do tumor ou a mastectomia, que consiste na extração de uma ou das duas mamas, posteriormente podendo haver reconstrução. Neste estádio também pode ser utilizada a radioterapia.

Caso o diagnóstico ocorra com o câncer em estágio avançado, são utilizadas no tratamento a quimioterapia, a hormonioterapia e terapia biológica. Essas já são medidas mais complexas e agressivas, em alguns casos, pois são só indicadas para etapas de maior avanço do câncer.

Compartilhe este post com seus amigos

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments